terça-feira, 11 de agosto de 2009

Esse mecanismo está prestes a parar

Estranho acordar olhar pro lado e não ver você!
Ainda naum sei como pude te deixar! Deixar você ser levada pela minha falta de tempo...deixar você ser levada pelo pouco caso...quando eu te tive não soube valorizar, te amar e te deixar viver...quando tive o queria fiz que nem uma criança egoísta e te guardei em um lugar muito mas muito secreto um lugar até que eu mesmo esqueci que existia!
Desde pequeno sempre sonhei com a mulher certa!
Um dia eu encontrei e naum soube valorizar!
Logo quando terminou eu comemorei sai fiquei com várias, te esqueci, ou pelo menos achei que te esqueci...semanas depois eu lembrei e dei me por falta de algo ou alguém...meses depois descobri que sentia falta de você...e mais 3 meses depois chorei e culpei meu trabalho...culpei meus pais...culpei minha vida...culpei o universo...e até Deus...
Hoje vejo que o único culpado sou eu...eu tive tudo aos meus pés e por isso não dei valor, pisei em tudo, me senti superior e assim me perdi e perdi os outros dentro de mim mesmo...
O vento frio entra pela janela da sala como que me convidando a voar com ele...mas voar pra longe dos problemas não adiantara de nada por que agora estou lúcido e sóbrio e vejo que o meu maior problema sou eu... mesmo de férias eu estou cansado...mesmo nas montanhas ...eu naum consigo respirar... acho que eu mesmo cansei de mim mesmo...como você mesmo já se cansou a alguns meses atrás... vejo que andei me abandonando e me esquecendo... vejo que hoje mais do que nunca eu estou morrendo!







"Eu me encantei num verdadeiro amor
E tive tudo aos meus pés
Trouxe o mar aqui pra te beijar amor
Parei o tempo só pra viver
Eternamente ao lado teu
Colhendo risos da manhã,
Pois foi assim,
Sempre manhã
Em mim

Fiz do teu olhar o meu espelho, a luz
Sempre brilhante em nós dois
E o teu olhar foi o veneno então
Quando lembrei dizer: ' eu quero mais '
E o mundo se desmoronou
E éramos sós ao perceber
A solidão
Multiplicar
O não
Em si

Não queria entender
Todas as vezes que me joguei
Sobre marolas de amor
Não queria esquecer
Então virava deus em nós dois
Vingando sempre a mim
Determinando o fim
Enquanto o mundo via o mal

Que o tempo fez ao nos deixar
Levando luz à escuridão
Iluminando o proibido
Trazendo à tona teus segredos
E destruindo a paixão
De então

Eu, que só queria um verdadeiro amor
E tive tudo aos meus pés."

4 comentários:

  1. As vezes nos escapa,
    como vento e água na mão...
    nem sempre toda culpa é nossa,
    nem sempre estava tão nas mãos.
    o amor é um segredo que ainda não descobrimos onde guardar.

    Digo mais...

    bassssssss (rsrsrs)

    ResponderExcluir
  2. Agente se entende bem!

    ResponderExcluir
  3. Mais uma rodada?
    Essa é por minha conta...

    ResponderExcluir
  4. Meu blog sempre estará cheio de amor pra dar aos que procuram :]

    Beijo, Lana!

    ResponderExcluir